Mais resultados

Generic selectors
Somente correspondências exatas
Pesquisar no título
Pesquisar no conteúdo
Post Type Selectors
post

Fiscais da Cotae retomam abordagens ameaçadoras aos taxistas após reabertura

taxistas na mira dos agentes da cotae
Fiscais da Cotae já estão realizando abordagens “ameaçadoras” aos taxistas nas ruas de Salvador

Menos de 24 horas após a reabertura do atendimento da Coordenação de Táxi e Transportes Especiais (Cotae), fiscais de rua já estão realizando abordagens “ameaçadoras” aos taxistas nas ruas de Salvador. Mesmo com o órgão ainda enfrentando dificuldades para atender todos os taxistas que comparecem presencialmente, os agentes já estão fiscalizando os profissionais nos pontos de táxi, parecendo demonstrar uma intenção de perseguição.

O Ei Táxi teve acesso a um áudio de um taxista, enviado ao presidente da Associação Geral dos Taxistas (AGT), Denis Paim, nesta quarta-feira (24), relatando uma abordagem de agentes da Cotae no Centro Histórico da cidade, com tom de ameaça e pressão, poucas horas após a retomada do atendimento pela Cotae.

“Denis, eu tava no Pelourinho, ontem, o fiscal chegou lá e falou: – Olha, a Getax vai abrir, hoje, às 14 horas. Às 14 horas, hoje. Provavelmente, hoje, a gente não vai fazer fiscalização, mas a partir de amanhã, que regularizar, a gente vai fazer fiscalização, aí vocês já estão em situação de apreensão, porque já estão irregulares. Aí fica difícil, Denis, eu não gosto de nada errado, esses caras do jeito que são, com a gente, ficam oprimindo a gente, trabalhador, parece até que a gente é vagabundo.”

Paim revelou que relatos como esse são recorrentes e lamentou a falta de sensibilidade e bom senso por parte dos agentes na abordagem dos taxistas. Ele afirmou que continuará a lutar pelo respeito e dignidade da categoria, não descansando enquanto os taxistas não forem tratados com a consideração que merecem.

“É revoltante, você ouvir isso de um pai de família, preocupado como se fosse um criminoso. Não existe bom senso, não existe sensibilidade, mesmo com tantos dias fechado, sem conseguir atender o taxista, perseguem, ameaçam, apreendem os carros, multam as profissionais. Depois ficam dizendo que eu sou problemático, que estou fazendo política. E ainda têm taxistas que defendem essas gestões da Cotae e da Semob. É mole? Se certos comentários de algumas pessoas me atingissem, eu já tinha desistido, e aí a situação do taxista estaria muito pior. Mas a categoria sabe que eu vou pra cima deles, com o direito que tenho de fazer as minhas cobranças, eu não vou aceitar que eles façam tudo e fiquem impunes. Pois saibam que não ficarão. Eu não vou descansar, enquanto o taxista não for tratado com respeito e a dignidade que tem direito, porque a gente não está pedindo favor a ninguém, pelo contrário, são eles que prestam serviços para o cidadão”, bradou Paim.

(Visitas totais 177)

Compartilhe

Uma resposta

  1. Sugiro aos colegas que gravem a abordagem e dê queixa nas ouvidorias, Ministério Público Estadual e na Delegacia por abuso de autoridade e constrangimento ilegal. Pedindo uma indenização da Prefeitura e da Pessoa física do agente! Quando doi no bolso, eles aprendem a trabalhar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre-se em nossa Lista de Transmissão

Siga nossas Redes Sociais

Siga nossas Redes Sociais