Mais resultados

Generic selectors
Somente correspondências exatas
Pesquisar no título
Pesquisar no conteúdo
Post Type Selectors
post

Colegas lamentam a perda do taxista Alex Naldo; Herdeiros têm até 30 dias para informar o falecimento à Cotae

falecimento do taxista Alex Naldo, alvará A-1016 (800 × 445px)
Alex, que tinha 48 anos de idade e mais de 15 anos na profissão, faleceu no último dia 29 após uma internação - Foto: Divulgação

A comunidade de taxistas do ponto do Shopping Barra está de luto pela perda de um dos seus membros queridos, o taxista Alex Naldo, alvará A-1016. Alex, que tinha 48 anos de idade e mais de 15 anos na profissão, faleceu no último dia 29 após uma internação. Sua morte deixou um sentimento de tristeza entre os colegas, que o descrevem como uma pessoa “gente boa demais”.

Denis Paim, presidente da Associação Geral dos Taxistas (AGT), expressou sua consternação com a partida de Alex: “Foi triste, ontem, porque ele era um cara gente boa demais. Ele já estava internado, mas a causa da morte não foi revelada pela família”. No sepultamento, realizado ontem, dia 30, no Cemitério Campo Santo, na Federação, diversos taxistas compareceram para prestar suas últimas homenagens a Alex Naldo.

O presidente da AGT também está alertando os familiares de Alex e de outros taxistas sobre o prazo para informar o falecimento do autorizatário à Coordenação de Táxi e Transportes Especiais (Cotae). Esse prazo é de 30 dias. Denis Paim ressalta a importância de cumprir esse prazo para evitar problemas com a autorização para a exploração e prestação do serviço de táxi: “Tenho notado que muitos familiares não sabem como proceder após o falecimento do permissionário, e isso tem gerado a abertura de processo administrativo para a cassação de muitos alvarás, porque as pessoas perdem o prazo. Por isso, os colegas precisam informar aos parentes que o prazo é de até 30 dias para comunicar para a Cotae”.

Diante desse cenário, a comunidade de taxistas se une em solidariedade à família de Alex Naldo e reforça a importância de estar atento aos prazos estabelecidos para evitar complicações burocráticas em momentos tão delicados.

(Visitas totais 529)

Compartilhe

Uma resposta

  1. essa informação tem que ser dada a família onde eles pode indicar alguém da família pra fazer o procedimento de transferência se ele for casado pode ser colocado no nome da viúva e ela nomeia alguém pra ser seu auxiliar tem que alguém próximo da família pra informar isso

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre-se em nossa Lista de Transmissão

Siga nossas Redes Sociais

Siga nossas Redes Sociais