Mais resultados

Generic selectors
Somente correspondências exatas
Pesquisar no título
Pesquisar no conteúdo
Post Type Selectors
post

Projeto na Câmara pretende barrar atuação do UBER e proteger taxistas

"Vamos lutar para garantir que os quase 300 mil taxistas, no Brasil, tenham seus empregos garantidos e a legislação respeitada", Deputado Zarattini (PT/SP)
“Vamos lutar para garantir que os quase 300 mil taxistas, no Brasil, tenham seus empregos garantidos e a legislação respeitada”, Deputado Zarattini (PT/SP) – Foto: Gustavo Bezerra

Deputados integrantes da Frente Parlamentar em Defesa dos Interesses da Classe dos Taxistas, Frentaxi, apresentaram no dia 15/06, o Projeto de Lei 5587/2016 para combater a concorrência ilegal e predatória promovida pelo aplicativo Uber, proteger os taxistas e melhorar o serviço prestado aos consumidores.

 

A proposta pretendente alterar as legislações que regulamentam o serviço de transporte público individual de passageiros e assim compatibilizar as novas tecnologias às atividades privativas empreendidas pelos taxistas ao incluir plataforma digital como mecanismo para acionar o serviço.

 

Na prática, a nova norma busca corrigir falhas na legislação que permitem hoje o crescimento do transporte clandestino por meio de meios tecnológicos, especialmente, a plataforma Uber. Esse aplicativo para dispositivos móveis conecta usuários a motoristas não credenciados para fazer transporte público de passageiros sem regulamentação. A proposta determina que somente carros de aluguel poderão fazer transporte público individual de passageiros de forma remunerada. Em nenhum caso, inclusive por meio de plataformas digitais, carros particulares terão autorização para prestar esse serviço.

 

Além disso, o projeto de lei apresentado estabelece maior controle ao exigir que o serviço de utilidade pública de transporte individual remunerado de passageiros, inclusive solicitado via aplicativos eletrônicos, seja organizado, disciplinado e fiscalizado pelo poder público municipal e tenha prévia fixação de tarifa a ser cobrada por meio de taxímetro físico. E estabelece, ainda, que somente profissionais taxistas poderão executar esse tipo de serviço de transporte. O projeto determina também que o não cumprimento das novas normas ocasionará penalidades e a proibição de exercício da atividade.

 

Assinaram a proposta conjuntamente com o deputado Carlos Zarattini (PT/SP), presidente da Frentaxi, o vice-presidente da Frente, deputado Luiz Carlos Ramos (PTN/RJ), 2º vice-presidente, deputado Osmar Serraglio (PMDB/PR), a secretária geral, deputada Renata Abreu (PTN/SP), os coordenadores deputados Rôney Nemer (PMDB/DF) e Laudivio Carvalho (PMDB/MG).

 

Fonte: Frentaxi

(Visitas totais 39)

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre-se em nossa Lista de Transmissão

Siga nossas Redes Sociais

Siga nossas Redes Sociais