Mais resultados

Generic selectors
Somente correspondências exatas
Pesquisar no título
Pesquisar no conteúdo
Post Type Selectors
post

Lideranças de taxistas realizam encontro nacional nesta terça (14), em Brasília

Taxistas reunidos em Brasília
A agenda, que será até esta quarta-feira (15), tem o objetivo de discutir sobre pautas de interesse do setor de táxi - Foto: Divulgação

Por Daniel Júnior

Nesta terça-feira (14), haverá um encontro nacional de lideranças de taxistas, em Brasília, no Distrito Federal. A agenda, que será até esta quarta-feira (15), tem o objetivo de discutir sobre pautas de interesse do setor de táxi, que até o momento estão sem andamento e resolução.

O encontro está sendo promovido pela Frente Nacional do Táxi (FRENNATÁXI), associações, cooperativas e representantes sindicais de diversos lugares do Brasil.

Representante dos taxistas da Bahia no evento, o presidente da Associação Geral dos Taxistas (AGT), Denis Paim, detalhou quais assuntos serão debatidos no encontro.

“Vamos discutir sobre a questão das transferências de placas, que em Salvador vai voltar a ocorrer, mas só por um prazo de seis meses; além disso, tem o desconto do IPI na compra de veículos novos. Essa pauta precisa ser aprovada no Congresso Nacional, senão, em 2022, vamos perder esse benefício; estão querendo trocar os sensores dos taxímetros e se isso acontecer, vai custar aproximadamente R$ 400, anualmente aos taxistas. Vamos tentar impedir isso; vamos buscar o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que o Banco do Brasil (BB) financia até 90% do preço do veículo com juros a menos de 10%, mas aqui na Bahia é ignorado; além de tudo isso, queremos uma atualização na Lei do Taxista (12.468/11), que já está ultrapassada.

Taxista da cidade de Joinville, em Santa Catarina, e responsável pelo Marketing e Comunicação da FRENNATÁXI, Éder Caetano Lima, falou ao Ei, Táxi sobre a importância desse tipo de evento para a categoria taxista e também os assuntos que serão tratados no encontro.

Um dos diretores da Frenatáxi, Éder Caetano Lima de Joinville-SC
Um dos diretores da Frennatáxi, Éder Caetano Lima de Joinville-SC – Foto: Divulgação

“Essa necessidade de mobilizar representantes da categoria foi originada no fato que estamos correndo o risco de perder a isenção de IPI na compra de carros novos para os taxistas e também a proibição de transferência de alvarás. Como temos pouco tempo para promover esses assuntos dentro da câmara legislativa federal, foi necessária a criação dessa Frente Nacional do Táxi”, pontou.

PROIBIÇÃO DE TRANSFERÊNCIA DE ALVARÁS

“Em nossas primeiras reuniões on-line, também debatemos sobre a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN) votada pelo plenário do STF, que proibiu a transferência de alvarás de táxi e tirou dos herdeiros a possibilidade de receberem a licença em caso de morte do titular. Esse assunto das transferências tem causado muito desconforto em meio à categoria, pois é muito comum o táxi ser um negócio de família que sempre foi passado de pai para filho. Como no meu caso por exemplo, meu padrasto era taxista. E se aprofundando no debate, nós chegamos à conclusão que agora, com a virada de mercado favorecendo os taxistas, era necessário abrir um leque de novas possibilidades, apresentando para a categoria uma proposta de atualização e modernização das regras que regem o táxi”, acrescentou Éder Caetano Lima.

(Visitas totais 753)

Compartilhe

Respostas de 3

  1. Olá boa tarde a todos do time da marca táxi, que Deus abençoe vocês com grandes e ideia e motivações para defender a nossa categoria que está carente de Representações mas agora vai.

  2. Gostaria de saber porque a legislação não faz nenhuma referência aos defenssores(motoristas auxiliares)
    permissionário é muitos nunca dirigiram um táxi toda via os defenssores que cumprirem todas as prerrogativas da lei a mais de 3 anos poderiam comprar seu carro com desconto desde que já tenha a placa é nas licitações ja entrarem em vantagem em relação aos demais sendo que os anos contarem pontos.

    1. Gostaria de saber se os defencores seriam reconhecidos como taxista pois a legislação só reconhece o permissionário pois temos todas as responsabilidade mas direitos nenhum poderia MOS também ter intenção na compra do carro desde que já tivesse MOS a tão sonhada placa ou na licitação já tivesse MOS mais pontos que os demais concorrentes desde que o mesmo tenha comprovação a mais de 3 anos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre-se em nossa Lista de Transmissão

Siga nossas Redes Sociais

Siga nossas Redes Sociais