Mais resultados

Generic selectors
Somente correspondências exatas
Pesquisar no título
Pesquisar no conteúdo
Post Type Selectors
post

Incompetência ou Irresponsabilidade da Semob: Processo Seletivo para novos taxistas em Salvador gera controvérsias

prefeito Bruno Reis_Foto_Divulgação
É urgente que o prefeito Bruno Reis se pronuncie sobre o assunto e adote medidas para garantir a lisura e a transparência do processo seletivo - Foto: Divulgação

O processo seletivo para novos taxistas em Salvador ganhou mais um capítulo polêmico nesta quinta-feira (4). Segundo informações da AGT, mais de 4 mil pessoas teriam se cadastrado para concorrer às vagas de alvarás de táxi na cidade, porém, apenas cerca de 100 estariam aptas para participar da seleção. A discrepância entre o número de candidatos e o de elegíveis aponta para possíveis erros de preenchimento e falta de documentos por parte dos interessados.

O prazo para o credenciamento encerra-se amanhã, dia 5, e somente agora, faltando pouco mais de 24 horas, a Secretaria de Mobilidade de Salvador (Semob) resolveu se manifestar sobre os possíveis equívocos. O secretário Fabrizzio Muller alertou os interessados para a necessidade de atenção à documentação exigida, enfatizando que erros ou omissões podem levar à eliminação da concorrência, o que sugere que essa informação da AGT tem fundamento. Disse Fabrizzio Muller: “Os interessados precisam estar atentos à documentação exigida para não perder a oportunidade de concorrer à vaga. Temos recebido envelopes com a documentação errada ou incompleta, portanto é necessário que o candidato confira se todas as certidões e declarações estão corretas para evitar que seja eliminado da concorrência.”

Desde a publicação do edital de credenciamento, em janeiro, o Ei Táxi tem acompanhado o desenrolar do processo, destacando inclusive alertas emitidos pela AGT sobre divergências no edital. Um desses alertas apontou divergências no Capítulo V do edital, que trata do tempo de fabricação dos veículos, evidenciando inconsistências nas informações fornecidas.

Questionada sobre essas divergências, a Semob optou por ignorar o veículo de imprensa, reforçando a percepção de seletividade em suas respostas. O fato de o alerta sobre os possíveis equívocos ter sido feito tão próximo ao término do prazo sugere uma falta de transparência e comunicação por parte da Semob, o que levanta questionamentos sobre a competência e responsabilidade do órgão.

Em comunicação, quando a esmagadora maioria das pessoas não consegue entender o que falamos, o erro não está no receptor, mas no emissor que não está sendo claro o suficiente para que seja compreendido. Para muitos, esse detalhe pode passar batido, principalmente quando não há interesse em divulgá-lo, mas quando se tem um erro como este e o prazo acaba sendo estendido, como poderá ser, é bem possível de se concluir que houve incompetência ou irresponsabilidade ou ainda, as duas coisas juntas.

A possível necessidade de prorrogar o prazo do credenciamento, caso se confirmem os erros apontados pela AGT, traz consequências financeiras e administrativas, afetando tanto os cofres públicos quanto os candidatos interessados. Nesse contexto, é imperativo que órgãos de fiscalização, como a Câmara de Vereadores e o Ministério Público da Bahia (MP-BA), intervenham para esclarecer os fatos e responsabilizar eventuais negligências.

Diante desses questionamentos e da insatisfação da categoria de taxistas, é urgente que o prefeito Bruno Reis se pronuncie sobre o assunto e adote medidas para garantir a lisura e a transparência do processo seletivo. A omissão e a falta de prestação de contas por parte da Semob não condizem com os princípios de uma gestão pública eficiente e comprometida com o bem-estar da população.

Aguardamos ansiosamente por uma resposta clara e efetiva por parte das autoridades competentes, pois é imperativo que a confiança na integridade e na competência dos órgãos públicos seja restabelecida para o bem da comunidade e dos próprios profissionais envolvidos.

Com informações do correio24horas

(Visitas totais 749)

Compartilhe

3 respostas

  1. Eu sei que o prefeito Bruno Reis, não sabe o que acontece por trás dos bastidores da SEMOB e COTAE, esse alvará pode ter carta marcada, com isso os auxiliares perde o direito de ser um permissionário, e muitas pessoa irão receber essa permissão, sem tá ligada a categoria, tem que acionar o ministério público da Bahia pra ajudar nesta seletiva, porque se depender desse secretário auxiliar nunca terá uma permissão

  2. Tem um fato claro, esse secretário é incompetente e nunca fez nada favorável para classe e o mais grave disso tudo é a empatia do prefeito fechando os olhos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre-se em nossa Lista de Transmissão

Siga nossas Redes Sociais

Siga nossas Redes Sociais