Mais resultados

Generic selectors
Somente correspondências exatas
Pesquisar no título
Pesquisar no conteúdo
Post Type Selectors
post

Fluxo de passageiros no aeroporto reduz mais que a metade e taxistas passam a noite por uma corrida

Raimundo de Almeida (2878), de 65 anos, chega cedo no Aeroporto de Salvador. Desde 1982 repete o ritual de estacionar seu táxi na fila comum e aguardar por passageiros. No domingo (13), quando conversou com a reportagem, ainda não tinha conseguido sequer uma corrida.

“Passo o dia todo aqui e nada. Os passageiros muitas vezes preferem os clandestinos do que a gente, que tá aqui uniformizado, tudo certinho. Mesmo eu dizendo que faço o mesmo preço”, desabafa o taxista.

Mesmo com grandes avisos distribuídos no local contra o transporte clandestino, a prática ocorre à luz do dia, sem constrangimento. Esses motoristas se baseiam no preço das corridas de aplicativos, como o Uber, mas rodam “por fora”.

“Fique parado ali que você vai ver a movimentação. Eles abrem o aplicativo apenas pra ver o preço da corrida, mas rodam sem ser monitorados. Aí fica difícil”, desabafa um taxista, que preferiu não se identificar.

Raimundo é um exemplo que pode representar a situação de todos os taxistas que esperam por um passageiro no aeroporto. Segundo o presidente da Associação de Táxi Comum do Aeroporto (Atalema), Jonilson de Santana (3955), tem motorista que passa a noite na fila esperando passageiro.

“Eu, por exemplo, às vezes batia a meta em uma corrida. É muito triste” lembra.

De acordo com o presidente da Atalema, taxistas chegavam a fazer antes da pandemia do novo coronavírus cinco corridas durante o dia saindo do aeroporto, sendo duas consideradas curtas e três longas.

A dimensão do problema também pode ser observada pelo número de voos. Antes, desembarcavam no aeroporto cerca de 90 voos de segunda a sexta-feira, enquanto no final de semana poderia chegar a 35. Agora, não passa de 11 por semana e 5 no sábado e domingo.

Fim de estoque

A Atalema não pode mais funcionar na área da Base Aérea de Salvador desde março após decisão judicial. A Justiça entendeu que o grupo não poderia ocupar a área pública. Com a mudança, uma nova estrutura de fila foi formada para o táxi comum.

Agora, os taxistas associados da Atalema dividem as 21 vagas distribuídas entre as duas filas de táxis comuns do aeroporto, na frente e lateral, com os não associados, ou seja, a fila está liberada para qualquer táxi comum da cidade. Além disso, temporariamente, a Coordenadoria de Táxis e Transportes Especiais (Cotae) disponibilizou para os taxistas a possibilidade de ocupar até 8 vagas na área de embarque e desembarque para carros privados.

(Visitas totais 130)

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre-se em nossa Lista de Transmissão

Siga nossas Redes Sociais

Siga nossas Redes Sociais