Em nova licitação, TáxiGov abriu para empresas de transporte por aplicativo e locadoras de veículos

  • Em nova licitação, TáxiGov abriu para empresas de transporte por aplicativo e locadoras de veículos

    Na segunda fase, a meta em economia está mantida em 60% - Foto: Gleice Mere/Ministério do Planejamento

    Na segunda fase, a meta em economia está mantida em 60% – Foto: Gleice Mere/Ministério do Planejamento

     

    O processo de licitação para a nova fase de operação do TáxiGov incluiu as locadoras de veículos e o serviço de transporte operado por meio de aplicativo de celular, além das empresas de táxis. O pregão foi realizado no dia 05 de julho e a operação iniciada até 26 de outubro.

     

    O objetivo da licitação foi dar continuidade ao modelo atual de transporte de servidores em deslocamentos a serviço e expandir a utilização para autarquias e fundações do Executivo Federal. Assim como na primeira fase do TáxiGov, a etapa 2.0 ocorrerá nas instituições públicas localizadas no Distrito Federal (DF).

     

    Levantamento realizado pelo Ministério do Planejamento (MP) apontou gasto de aproximadamente R$ 32 milhões por ano na administração direta do DF no modelo antigo (que utilizava frota própria ou alugada). A previsão de economia ao final da implantação é de R$ 20 milhões por ano (60% em relação ao modelo anterior). Essa estimativa ainda não foi totalmente realizada, porque a adesão dos órgãos foi gradativa e finalizada em maio deste ano, ou seja, a economia total só vai poder ser visualizada em maio de 2019.

     

    O gasto atual da utilização do TáxiGov por quilômetro é de R$ 3,48. Após a nova licitação será de, no máximo, R$ 3,30 por quilômetro – podendo ser menor, dependendo das propostas apresentadas.

     

    A primeira licitação, de 2017, foi fechada em R$ 12 milhões e valia somente para os órgãos da administração direta. A nova etapa teve valor estimado de, no máximo, R$ 20 milhões aos cofres públicos e vai englobar também a administração indireta. A expectativa ao final da implantação do TáxiGov 2.0 é que a economia seja mantida nos mesmos 60%.

     

    Além da economia, o aprimoramento do modelo de transporte de servidores em deslocamentos a serviço terá outras vantagens: diminuição do tempo de atendimento; utilização de tecnologias mais avançadas no mercado de transporte; e intensificação do uso de painéis de gerenciamento para sustentação da fiscalização.

     

     RESULTADOS

     

    Em 16 meses de operação do TáxiGov 1.0, mais de 11 mil servidores e colaboradores utilizaram o serviço, em cerca de 165 mil viagens. O tempo médio de atendimento das solicitações é de 7 minutos e já foram percorridos mais de 1,2 milhão de quilômetros.

     

    Fonte: MP

     

    Share on Facebook

    Deixe um comentrio

    Required fields are marked *