AGT denuncia problemas em pontos de Salvador

  • AGT denuncia problemas em pontos de Salvador

    As queixas sobre a falta de organização e fiscalização em pontos de táxi são antigas, assim como o descaso das autoridades - Foto: Divulgação

    As queixas sobre a falta de organização e fiscalização em pontos de táxi são antigas, assim como o descaso das autoridades – Foto: Divulgação

     

    Segundo o presidente da Associação Geral dos Taxistas (AMT), Denis Paim, problemas sistemáticos estão dificultando a vida dos taxistas em pontos de Salvador.

     

    Ferry-boat – Em uma das denúncias, Denis aponta a existência de um monopólio no estoque de táxis do Ferry-boat da capital. “Estão querendo privatizar a fila, querendo delimitar a quantidade de táxis que vão rodar aqui”, reclama. Ainda segundo ele, a administração do modal, a Internacional Travessias Salvador, só permite que taxistas cadastrados utilizem a área.

     

    De acordo com Edson Souza, líder dos taxistas no ferry, realmente existe a exigência de cadastramento para adentrar o estoque, mas os demais motoristas não são impedidos de seguir a fila. “Se chegar um carro não cadastrado, ele marca o último do estoque e pode puxar a fila dele”, explica.

     

    Ainda segundo Edson, a determinação existe por que o novo espaço, que é maior que o antigo, é propriedade da administradora, que exigiu essa “organização”. Perguntado sobre a legalidade da ação, ele informa que “a Getaxi [Cotae] já tomou conhecimento.

     

    Cajazeiras – Outra situação apontada por Denis, é anuência da Transalvador em relação ao transporte clandestino na rótula da feirinha de Cajazeiras. “Há mais de um ano, colocaram cones do lado esquerdo da rua. Eles utilizam a área como estoque para, em seguida, irem para os pontos”, explicou. Segundo ele, a situação já foi denunciada há mais de um ano para a Secretaria de Mobilidade (Semob), mas nenhuma providência foi tomada.

     

    Para saber a posição da Gestão Municipal sobre o assunto, a nossa redação entrou em contato com a Semob, mas nenhum servidor presente no órgão no momento da ligação teve respostas sobre as situações. Também tentamos contato com a Internacional Travessias Salvador, mas não fomos atendidos.

    Share on Facebook

    Deixe um comentrio

    Required fields are marked *